quinta-feira, 16 de outubro de 2008

ACABAR COM FILAS!!!


PROCON EXIGE QUE BANCOS DISTRIBUAM
SENHAS AOS CLIENTES PARA FACILITAR
FISCALIZAÇÃO DO TEMPO DE ESPERA:

O Procon Goiás deu prazo de 30 dias para que
os bancos, em todo o Estado, implantem
mecanismos que permitam medir o tempo de
espera nas filas. A recomendação foi feita à
Associação dos Bancos (Asban) e à Federação
Brasileira de Bancos (Febraban).
A iniciativa visa a dar ao consumidor
elementos que lhe assegurem o direito de
reclamar e, se preciso, cobrar indenização
por possíveis perdas ou danos sofridos com
a demora nas filas.

TOP 6 DE RECLAMAÇÕES:
A sugestão do Procon é a implantação de
senhas chanceladas com horário de entrada
e saída. Os bancos ocupam o sexto lugar no
ranking de reclamações do Procon. Desde, já
somam 3.964 queixas em torno de 200, são
referente a espera em fila.

Em Goiânia, uma lei municipal determina
que o tempo máximo de espera na fila de
banco é de 20 minutos, podendo chegar a 30
minutos em casos excepcionais. Por isso,
o Procon decidiu recomendar que os próprios
bancos adotem meios que permitam ao
consumidor que se sentir lesado possa
exigir seus direitos.

Enquanto o mecanismo não é implanto pelos
bancos, o superintendente Antônio Carlos
de Lima orienta os consumidores a
verificarem nas senhas e nos comprovantes
de pagamento se constam horários de emissão.

De posse desses dois documentos (senha e
comprovante, ambos com horário) o
consumidor pode protocolar reclamação
no órgão ou mesmo pleitear indenização
na Justiça.

"Jornal DAQUI"

Um comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

Aqui ainda não existe isso.
também é verdade que na maioria dos bancos a espera é pequena.
Mas o Banco do Estado, o que paga pensões e reformas, a Caixa Geral de Depósitos, são os deuses e o cliente que espere.
Se fizerem como eu, que ao fim de 5/10 minutos começo a "rosnar" em voz alta e normalmente abrem mais "guichets" de atendimento.

Quando me interpelam costumo argumentar:
- Quem não tem capacidade, fecha a tasca!!! (aqui tasca, é um local - bar - muito fraco, onde vendem vinho e outras bebidas ao copo e sem asseio nenhum.)