terça-feira, 4 de maio de 2010

*1-TAPETE BRANCO COM VERMELHO* *2-CRÔNICA: PONTA DA LÍNGUA*



Branco e vermelho, cores do nosso timão:
Vila Nova! Tapete estampadinho de branco com vermelho.

***Ana Maria Gonçalves***
***Fotos de trabalhos meus, Ana Maria***

*CRÔNICA: PONTA DA LÍNGUA*

Cheia de graça é a nossa língua, portuguesa.
Você nem precisa aprender o á-bê-cê para rir com ela.
Desde pequeno já ouve dizer que mentira tem pernas curtas.
E mentira tem pernas?
E a verdade? A verdade tem pernas longas?
E quando dói a barriga da perna?
Ou quando ficamos de orelha em pé?
O que a barriga tem a ver com a perna, e orelha com o pé?
Pra ser divertido, não leve nada ao pé da letra!
Até porque letra não tem pé. Ou tem?
Pé-de-meia é o dinheiro que a gente economiza.
Pé-de-moleque, doce de amendoim.
Dedo de prosa é papo rápido.
Dedo-duro é traidor.
Pão-duro, pessoa egoísta.
E boca da noite? E céu da boca?
É uma brincadeira atrás da outra!
Cabeça de cebola, dente de alho, braço de mar.
Com a nossa língua, a gente pode pegar a vida pela mão.
Pode abrir o coração. Pode fechar a tristeza.
A gente pode morrer de medo e, ao mesmo tempo, estar
vivinho da silva.
Pode fazer coisas sem pé nem cabeça.
Mas brincar com palavras também é coisa séria.
Basta errar o tom e você vai parar no olho do furacão.
Então, divirta-se. Cuidado só para não morder
a língua portuguesa!

(João Anzanello Carrascoza, autor dessa crônica)
www.novaescola.org.br
(Imagem da net)

3 comentários:

Denise disse...

Mais um belissimo tapetinho né, amor?
...e sem falar no roxo de raiva, vermelho de vergonha, mais feio que o cão chupando manga... e por ai vai! ainda bem que eu já nasci falando essa lingua complicada!
beijo!

Daniel Savio disse...

Não sabias que torcia...

Fique com Deus, menina Ana Maria.
Um abraço.

anjoartes disse...

Oi Aninha!!!

ACORDEI FELIZ

Hoje acordei de bem com a vida
Acordei com um sorriso
Aquele sorriso maroto
Gostoso de sentir
Abri a janela para ver o sol
Hoje seu brilho está mais radiante
Pela janela senti a brisa da manhã
Quanto tempo não me sentia assim
Leve como o vento
Não sei o motivo da felicidade
Nem vou procurar saber
Pois estou feliz demais
E talvez se procurar o motivo
A felicidade se vai…
Então vou curtir essa alegria
Pois muito tempo não a sentia
Já nem mais sabia como é bom
Deixa feliz meu coração
Sinto até vontade de dançar
Nem quero pensar
Só sei que vou curtir esse momento
Mesmo que por pouco tempo
Quero sorrir um pouco
Com meu jeito louco
Pois ele me tira o sufoco
Sinto vontade de alguém abraçar
Sinto vontade de essa alegria compartilhar.

Bom domingo e uma otima semana.
Beijos...

Angela