sexta-feira, 25 de julho de 2008

MULHERES PINTORAS, PRESENÇA FEMININA E INTERESSANTE


Recados e Imagens - Mulheres - Orkut




Entre pintar e bordar, está claro que as mulheres
ficaram com a segunda opção. Entre numa sala de
museu e faça as contas. A predominância de nomes
masculinos é enorme. O mais terrível nisso tudo é
que não se trata de escolha delas, mas daquilo que
as feministas chamam hoje de machismo. Afinal,
quando a corte de algum rei do século 18 convidava
uma mulher para pintar os retratos da burguesia,
poucas tinham *permissão* da família para fazê-lo.
Assim, só no final do século 19 e no início do 20
é que as mulheres começaram a frequentar os ateliês
com a mesma assiduidade deles.
MULHERES PINTORAS, com 120 trabalhos de 50 artistas,
destaca a presença feminina na pintura brasileira
desde meados do século 19 até a segunda metade
do século 20. Poucas vezes viu-se um enfoque
curatorial guiado pelas questões de gênero, o
que já torna a exposição interessante e,
por outro lado, revela uma certa limitação
da História da Arte na análise dos contextos
sociais em que as obras se inserem.
PRECONCEITO SUPERADO!!!

*Cristian Avello Cancino*

Um comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

A mulher sempre foi discriminada.

Mas um bordado também é uma pintura, só que as tintas e a tela, quando a há, é outra.

Já viu um homem bordar?
Só mãos femininas é que conseguem determinadas obras primas.
Não sei se já ouviu falar nas rendas de bilros, verdadeiras obras primas da natureza ...


As mulheres é que cozinharam ... pela vida fora ... mas os grandes mestres são quase exclusivamente homens.

Será a natureza que dotou os sexos de algo que podem desenvolver duma maneira diferente?